Jornal Tijucas - OIT: América Latina perde cerca de 14 milhões de empregos devido à Covid-19

OIT: América Latina perde cerca de 14 milhões de empregos devido à Covid-19

Últimas notícias -

 

A pandemia do novo coronavírus está causando a perda de 5,7% das horas de trabalho na América Latina e no Caribe neste segundo trimestre de 2020, o equivalente a 14 milhões de trabalhadores em período integral, informou a Organização Internacional do Trabalho (OIT), nesta quarta-feira (8).

A pandemia do novo coronavírus está causando a perda de 5,7% das horas de trabalho na América Latina e no Caribe neste segundo trimestre de 2020, o equivalente a 14 milhões de trabalhadores em período integral, informou a Organização Internacional do Trabalho (OIT), nesta quarta-feira (8).

"Estamos enfrentando uma destruição maciça de empregos, e isso representa um desafio de magnitudes sem precedentes nos mercados de trabalho da América Latina e do Caribe", disse o diretor regional da OIT, Vinícius Pinheiro, em comunicado.

"A partir de agora sabemos que, ao mesmo tempo em que a emergência de saúde for superada, teremos que enfrentar uma verdadeira reconstrução de nossos mercados de trabalho", acrescentou o diretor da organização, uma agência da ONU com escritório para a América Latina e o Caribe em Lima.

A crise teve um "efeito catastrófico" no emprego e nos salários em todo o mundo, e na América Latina e no Caribe", afirma o comunicado. "A pandemia afeta especialmente setores que geram um grande número de empregos na região, como comércio e serviços", acrescenta.

"Maior crise desde a Segunda Guerra Mundial"

O relatório do escritório regional foi divulgado um dia depois que a OIT informou em sua sede em Genebra que o mercado de trabalho está enfrentando sua "maior crise desde a Segunda Guerra Mundial", com 1,25 bilhão de trabalhadores correndo o risco de demissão ou redução de salários.

Em 28 de janeiro, antes da crise do coronavírus atingir a região, a OIT havia declarado que mais de 25 milhões de latino-americanos e caribenhos estavam desempregados, e o número certamente aumentaria em 2020 devido ao fraco crescimento das economias.


Fonte: Com Agências