Nesta segunda-feira (6), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o governo deve disponibilizar os R$600 para os trabalhadores informais e microempreendedores (MEI) que possuem conta corrente na Caixa Econômica Federal, nesta terça-feira (7).

Estes clientes da Caixa terão prioridade no saque dos R$600
Estes clientes da Caixa terão prioridade no saque dos R$600 (Imagem: Montagem/FDR)
ANÚNCIO

Já para os clientes do Banco do Brasil, o crédito será feito nesta quarta-feira (8), garantiu o ministro.

Leia Também: Saque do auxílio de R$600: veja LISTA com trabalhadores que recebem primeiro

Serão encaminhados também os depósitos para os elegíveis ao auxílio emergencial que têm contas em outros bancos.

“A gente calcula entre 15 e 20 milhões de pessoas que não têm nenhum registro e estamos bolando um aplicativo bem fácil. A pessoa entra lá e coloca o CPF dela, a composição familiar e responde um questionário bem curtinho. Aí, em 24 horas a gente roda isso e na quarta começam os primeiros pagamentos para o informal que não tem apoio nenhum”, explicou o ministro.

Lorenzoni não detalhou como será realizado o procedimento exato desta disponibilidade do dinheiro para os beneficiários. 

Por enquanto, a União informou que o lançamento do aplicativo “Auxílio Emergencial” e do site, servirá para sejam preenchidos os requisitos de acesso aos recursos. 

Tanto o site, quanto o aplicativo vão servir como ponte para que os trabalhadores  informais e microempreendedores possam sacar o seu benefício. 

O ministro afirmou que a expectativa do governo é que ao menos 1 milhão de pessoas acessem essas plataformas assim que elas forem lançadas. 

Para quem recebe o Bolsa Família, os depósitos devem cair no próximo dia 16, informou Onyx. “Conforme calendário que já é praticado” pelo programa.

O titular da Cidadania disse que o governo está preocupado em incluir também os brasileiros que podem receber o auxílio emergencial, mas que não estão no Cadastro Único.

Leia Também: IPVA RS 2020: atenção para o calendário! Nessa semana VENCE mais uma parcela

Após o preenchimento no site ou no aplicativo, o usuário vai inserir seus dados pessoais e escolher uma conta corrente para que o valor do benefício seja depositado. O governo deve analisar os cadastros para ter certeza de que o cidadão tem direito ao saque.