Jornal Tijucas - Quarentena: Banda Mato Seco disponibiliza seus álbuns e DVD de forma gratuita na internet

Quarentena: Banda Mato Seco disponibiliza seus álbuns e DVD de forma gratuita na internet

Últimas notícias -

 
Mato Seco
Um dos grandes nomes do reggae nacional, a Banda Mato Seco liberou vários conteúdos gratuitos em seu site e canal do Youtube. Foto: William Soares

Para quem quer relaxar nessa quarentena ouvindo música de qualidade, a banda de reggae Mato Seco, disponibiliza de forma gratuita seus 3 álbuns para download na internet. Com mensagens positivas de conotações políticas e sociais, a banda se dedica a disseminar a filosofia do bem e da justiça em suas canções.

Os álbuns Mato Seco de 2006, Seco Mas Não Morto de 2009, e Seco e Ainda Vivo de 2013, são a essência dos artistas e representam o melhor do reggae roots nacional.

Para fazer o donwload, basta acessar o site Mato Seco.

Além desse conteúdo, a banda disponibiliza na integra seu DVD Pronto A botar Fogo, lançado em 2017, em seu canal no Youtube.

Com quase 4 milhões de visualizações o Marley Experience, tributo gravado pelo Mato Seco em homenagem a Bob Marley, também está aberto no canal da banda no Youtube.

“O Mato sempre disponibilizou sua arte de forma gratuita na internet, e diante dessa pandemia de coronavírus onde a recomendação é ficar em casa, nada melhor que reforçar que temos muito conteúdo bacana e de graça para entreter o público”. Conta o vocalista Rodrigo Piccolo.

Além de todos os conteúdos gratuitos, a banda também já dispõe do mais recente single, feito em parceria com o rapper Rapadura, chamado “Levante Popular”.

Sobre a Banda Mato Seco

O Mato é um dos maiores destaques no cenário do reggae brasileiro, formada por: Rodrigo Piccolo (vocal e guitarra), Eric Oliveira (guitarra), Osvaldo Ciziniaukas Jr. (contrabaixo), João Paz (órgão e piano), Tiago Rezende (bateria), Carlos Eduardo Gonçalves (percussão e voz) e Mauro Peres (percussão e voz), contagia milhares de fãs por onde passa.

Com letras que falam de amor, paz, resistência, e a luta das minorias por direitos, o Mato consegue tocar no íntimo de seus ouvintes que refletem sobre situações do cotidiano, gerando de cara uma identificação pessoal.


Fonte: Com Agências