Jornal Tijucas - Governo abre chamada pública para financiar pesquisas contra Covid-19

Governo abre chamada pública para financiar pesquisas contra Covid-19

Últimas notícias -

A partir desta segunda-feira (6), pesquisadores de todo o país já podem inscrever projetos de enfrentamento ao coronavírus para receber recursos do governo federal.

 

Pesquisadores de todo o país já podem inscrever projetos de enfrentamento ao coronavírus – Foto: Polina Tankilevitch/Pexels

Por meio de uma parceria entre os ministérios da Saúde e do MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) serão investidos R$ 50 milhões no financiamento de onze linhas temáticas.

As linhas incluem, por exemplo, o desenvolvimento de novos métodos de prevenção e controle, diagnóstico, tratamento e vacinas contra coronavírus e outras doenças respiratórias.

As propostas podem ser encaminhadas até o dia 27 de abril na Plataforma Carlos Chagas. O resultado final será divulgado em 15 de junho de 2020.

Quem pode participar

Podem participar pesquisadores que tenham o título de doutor ou livre docência e que sejam vinculados a ICT (Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação), públicas ou privadas sem fins lucrativos.

Devido à emergência de saúde pública provocada pela infecção por coronavírus, as pesquisas contratadas por essa chamada pública devem informar seus resultados parciais e finais ao longo do desenvolvimento.

Isso porque suas evidências serão relevantes para a tomada de decisão e também para a gestão em saúde no atendimento de pacientes e contenção da transmissão da doença. O banco de dados dos estudos também deverá ser disponibilizado ao Ministério da Saúde, quando solicitado.

Financiamento da chamada pública

Nas linhas 1, 2, 3 e 4 de pesquisa serão apoiados projetos com valor até R$ 2 milhões. E, se envolver ensaios clínicos, o financiamento pode chegar a R$ 8 milhões. Para as demais linhas, o valor máximo das propostas será de R$ 2,5 milhões.

Os critérios que definirão a contratação dos estudos, além do mérito científico, baseiam-se na aplicabilidade para o SUS, potencial impacto e relevância do projeto para o aprimoramento da atenção à saúde e vigilância da Covid-19, perspectiva de impacto positivo nas condições de saúde da população e participação em rede ou em estudos multicêntricos ou com abrangência nacional.

Dos R$ 50 milhões que serão investidos no financiamento das pesquisas, R$ 20 milhões são do Ministério da Saúde e outros R$ 30 milhões procedem do MCTIC.


Fonte: Com Agências