Jornal Tijucas - Governo de São Paulo amplia quarentena até 22 de abril: número de casos em SP está dentro do esperado, diz David Uip

Governo de São Paulo amplia quarentena até 22 de abril: número de casos em SP está dentro do esperado, diz David Uip

Últimas notícias -

 
O Governo de São Paulo acaba de anunciar a prorrogação do período de quarentena no Estado de São Paulo, que agora vai até o dia 22 de abril de 2020, para conter o avanço do coronavírus no estado. A determinação entra em vigor a partir desta quarta-feira (8) e será publicada no Diário Oficial desta terça-feira (7). A determinação seguirá com as mesmas regras da anterior, com o fechamento do comércio e mantendo apenas os serviços essenciais, como alimentação, transporte, comunicação, saúde e segurança.

Leia mais: Escolas estaduais e municipais terão aulas a distância a partir de 22 de abril, pela TV e por aplicativo de celular com internet grátis

Doria e Bruno Covas sofriam pressa?o de empresa?rios e comerciantes para flexibilizar as medidas de isolamento social, evitando um estrago maior na economia.”Sem as medidas de isolamento que tomamos, calculamos que os casos seriam 10 vezes maiores”, afirmou o secretário estadual de Saúde, José Henrique German.

Dimas Tadeu Covas, coordenador da Central de Testes do Coronavírus e diretor do Instituto Butantan fez um apelo e pediu à população que colabore com o isolamento social: “Neste momento, nós precisamos da adesão das pessoas. Precisamos elevar, mostrar que a redução está funcionando em níveis superiores a 70%”.

O governador de Sa?o Paulo, Joa?o Dória, anunciou na coletiva de hoje, 6/04/20 que a quarentena segue sem flexibilizações. Isso é constitucional, não é uma deliberação que pode ou não ser seguida. É uma determinação que deve ser seguida por todos os municípios do Estado”, afirmou o governador.

Segundo a secretaria, desde 29 de março o número de pacientes confirmados com o coronavírus em São Paulo cresceu 318%, saltando de 1.451 casos para 4.620 e alcançando o dobro de municípios na última semana. Atualmente, 99 cidades paulistas registram casos confirmados da infecção.

Mesmas regras, mais fiscalização

As regras da quarentena seguem as mesmas. Governador e prefeito informaram que a fiscalização será mais intensiva. Segundo o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, até o momento, na capital já foram lacrados 46 estabelecimentos que não respeitaram a quarentena. “A Orientação para os dois mil fiscais da prefeitura é lacrar, se na reincidência, cassar a licença”, alertou o prefeito.

Leia mais: Coronavírus: São Paulo vazia, veja imagens da cidade no início da quarentena

Dória reforçou que os 643 prefeitos de SP têm a obrigação de seguir a orientação e usar o “poder de polícia em caso de desobediência. “Nenhuma aglomeração de nenhuma espécie em nenhuma cidade ou área do estado de São Paulo será admitida. As Guardas Municipais ou Metropolitanas deverão agir”, afirmou.

“Esperamos que prefeitos e prefeitas cumpram sua obrigação e protejam seus cidadãos. O fato de uma pequena cidade não ter um caso de coronavírus não significa que ela está livre de riscos”, reforçou o governador.

Avanço nos tratamentos e leitos

O infectologista David Uip, que contraiu coronavírus, retornou ao trabalho hoje após 14 dias de isolamento e esteve presente na coletiva de imprensa de hoje, assumindo novamente a coordenação do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de SP. Ele fez um relato emocionado sobre sua experiência com a doença. “Eu venci a quarentena. Não é fácil ficar isolado. Tive que me reinventar, criar um David novo”, afirmou.

Sobre o avanço dos tratamentos, David Uip contou que participou de uma reunião no Ministério da Saúde com o ministro Luiz Henrique Mandetta na qual discutiram sobre os protocolos da hidroxicloroquina no tratamento de coronavírus, e que foi decidido que o medicamento passaria a ser oferecido seria uma opção antes da fase de intubação.

Leia mais: Escolas e creches particulares: como ficam as mensalidades durante a pandemia do COVID-19, tem desconto? Basta cancelar ou deixar de pagar?

“Se médico e paciente tiverem em acordo, a hidroxicloroquina pode ser uma opção, que até agora só estava sendo usada em pacientes intubados”, afirmou. “O Estado de SP recebeu 200 mil comprimidos de hidroxicloroquina que estão sendo distribuídos na rede hospitalar”, completou.

O prefeito Bruno Covas informou que apesar de ter adicionado 3 mil leitos com os hospitais de campanha do Pacaembu e Anhembi e expansão em hospitais públicos, a cidade já está sentindo a pressão no sistema de saúde. “Hoje inauguramos o hospital de campanha do Pacaembu e já recebemos o primeiro paciente lá, e rapidamente vamos ocupar os 200 leitos do Pacaembu essa semana”, explicou Bruno Covas.

Cenário e número de casos

O infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de SP, e o secretário estadual de Saúde, José Henrique German, afirmaram na coletiva que os dados estão dentro dos cálculos e cenários esperados.

O estado registra até o momento 275 mortes por coronavírus e 4.620 casos da doença. Das 275 vítimas do coronavírus no estado, 157 são homens e 118 mulheres. Do total, 236 tinham idade igual ou superior 60 anos e as demais incluem pessoas com menos de 60, mas com alguma comorbidade.

São Paulo concentra 77% das hospitalizações por problemas respiratórios com confirmação para COVID-19 em todo País, segundo boletim do Ministério da Saúde: 1.724 internações registradas até domingo (5/4). Em todo o País, o número de mortos pela Covid-19 chegou a 486 pessoas, totalizando 11.130 casos confirmados.


Devem seguir abertos durante a quarentena seguindo as orientações dos sanitaristas:

  • Hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas; públicas ou privadas
  • Transporte público;
  • Transportadoras e armazéns;
  • Empresas de telemarketing;
  • Serviços de call center,
  • Petshops;
  • Deliverys;
  • Supermercados, mercados e padarias;
  • Limpeza pública;
  • Postos de combustível.
  • Bancas de jornais
  • Táxis e aplicativos de transporte
  • Serviços de Segurança Pública, tanto estadual, quanto municipais, continuam funcionando normalmente
  • Bancos e lotéricas também continuam abertos
  • Indústrias devem continuam operando, já que não têm atendimento ao público em geral.

Devem seguir fechados durante a quarentena:

  • Bares, cafés, padarias e restaurantes podem manter o funcionamento em sistema de delivery e/ou drive thru.
  • Casas noturnas;
  • Shopping centers e galerias;
  • Academias e centros de ginástica;
  • Espaços para festas, casamentos, shows e eventos;
  • Escolas públicas ou privadas.

Fonte: Com Agências