Jornal Tijucas - Embaixada da China responde Weintraub e acusa o ministro de racismo

Embaixada da China responde Weintraub e acusa o ministro de racismo

Últimas notícias -

O MINISTRO DA EDUCAÇÃO, ABRAHAM WEINTRAUB (FOTO: MARCELO CAMARGO / AGE?NCIA BRASIL)

A Embaixada da China no Brasil se pronunciou, nesta segunda-feira 06, sobre um twitter irônico contra o país feito pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. “Deliberadamente elaboradas, tais declarações são completamentes absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil”, diz a nota.
 

Além disso,  Weintraub usou uma imagem de Cebolinha da Turma da Mônica, criado por Maurício de Sousa, na Muralha da China. Substituindo o “r” pelo  “l”,  ele fez referência ao modo de falar do personagem, para insinuar que se tratava dos chineses.

“Geopoliticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?”, escreveu o ministro.

Mais recentemente, o ministro tem usado seu espaço para disseminar outras teorias infundadas sobre interesses escusos na pandemia. “Foi um crime perfeito? Quase todos nós brasileiros perdemos muito em pouquíssimo tempo. Há algum país ganhando poder geopolítico com a crise? Há famílias privilegiadas no Brasil ganhando com isso? Tais famílias têm alianças ou acordos com tal país? Foi tudo uma coincidência?”, escreveu no dia 02 de abril.

Neste sábado 04, a China declarou um dia de luto oficial pelas mais de 3400 mortes ocorridas no país entre dezembro e março, quando a curva de contaminação começou a cair no país. “Nossas mais profundas condolências àqueles que deram a vida pela luta e a todas as vítimas da pandemia. Que descansem em paz!”, escreveu a Embaixada chinesa no Twitter.

O Brasil, por outro lado, tem sido encarado pelo resto do mundo como um País com líderes inconsequentes. Em uma charge, a revista britânica The Economist, referência política e neoliberal, retratou nesta semana o presidente Jair Bolsonaro como um político que chamava a população às ruas no meio de desenhos de vírus. “Uma chuvinha não vai machucar vocês!”, diz o desenho.

Até o momento, o Brasil tem 9.244 casos e 366 mortes pela Covid-19, segundo informado pelas secretarias estaduais de Saúde neste sábado. O mês de abril é considerado o período em que a epidemia atingirá o seu pico no Brasil, de acordo com as projeções do Ministério da Saúde.


Fonte: Com Agências