Jornal Tijucas - Anvisa aponta falhas de isolamento em cruzeiro com suspeitos de coronavírus; nove estão internados

Anvisa aponta falhas de isolamento em cruzeiro com suspeitos de coronavírus; nove estão internados

Últimas notícias -

Navio Costa Fascinosa permanece em quarentena no Porto de Santos, no litoral de São Paulo — Foto: Solange Freitas/G1

Navio Costa Fascinosa permanece em quarentena no Porto de Santos, no litoral de São Paulo — Foto: Solange Freitas/G1

Uma equipe da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fez a segunda inspeção no navio Costa Fascinosa na tarde desta quinta-feira (2) e encontrou falhas de isolamento entre os tripulantes. A Agência notificou a empresa Costa Cruzeiros e cobrou soluções. O navio, com 31 casos suspeitos do coronavírus, segue em quarentena. Nove tripulantes já foram desembarcados e estão internados em um hospital em Santos, sendo que sete estão confirmados com Covid-19.

A inspeção da Anvisa durou cerca de três horas e foi realizada para verificar se a embarcação está cumprindo as exigências da Agência para higiene a bordo e isolamento de tripulantes. Flagrantes mostraram que os tripulantes estavam circulando livremente pelo navio, sem respeitar as exigências da primeira vistoria.

Durante a inspeção, os técnicos da Agência verificaram falhas no isolamento entre os tripulantes. Os técnicos verificaram que alguns tripulantes não estavam respeitando o distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas que foi determinado. A situação foi verificada, por exemplo, na proximidade de tripulantes conversando entre uma varanda e outra.

Também foi identificada uma pessoa com faringite aguda, que estava na área reservada para os sem sintomas. Além disso, este tripulante estava acomodado em uma cabine interna, do meio do corredor.

A Anvisa havia determinado que todos aqueles com qualquer sintoma respiratório (tosse, congestão nasal, dor de garganta, coriza, dispneia, entre outros), com ou sem febre, devem ficar em ala específica de casos suspeitos. Além disso, todos os tripulantes com sintomas devem ser colocados em quartos com varanda, o que não estava acontecendo.

Tripulantes são flagrados desrespeitando regra de 2 metros de distância dentro de navio em Santos (SP) — Foto: Reprodução

Tripulantes são flagrados desrespeitando regra de 2 metros de distância dentro de navio em Santos (SP) — Foto: Reprodução

A Anvisa fez uma lista com exigências e novas determinações que o navio precisa seguir durante a quarentena.

Confira as determinações da Anvisa

  • A empresa deve apresentar uma planta do navio com informações precisas sobre a distribuição dos tripulantes, com destaque na identificação das cabines utilizadas pelos sintomáticos e pelos assintomáticos. O objetivo é fazer a identificação de possíveis falhas na distribuição dos tripulantes pelo navio e que possam estar contribuindo para a transmissão do Covid-19.
  • Qualquer tripulante, com ou sem sintomas, que tenha necessidade de sair de suas cabines, devem, obrigatoriamente, utilizar máscara cirúrgica descartável. A medida vale para os tripulantes que estão trabalhando no navio e aos que não estão trabalhando, mas que necessitam pegar suprimentos de limpeza e desinfecção de suas próprias cabines.
  • A empresa responsável pelo Costa Fascinosa está obrigada ainda a apresentar todos os dias, até as 21h, os dados de saúde a bordo (Medical Log Book), as atualizações do estado de saúde dos tripulantes internados e o registro de medição de temperatura de todos no navio. Esta medição de temperatura deve ser feita duas vezes por dia dentro da embarcação.
  • A embarcação também precisa indicar o nome, a localização e o departamento de todos tripulantes que estão realizando atividades a bordo como medição de temperatura, preparação e distribuição de alimentos e o trabalho de limpeza e lavanderia.

Em nota, a Costa Cruzeiros afirmou que está seguindo todas as recomendações de saúde e segurança estabelecidas pelas autoridades sanitárias brasileiras e fornecendo assistência a todos os membros da tripulação do Costa Fascinosa, aplicando rigorosos protocolos de saúde, que prevê o isolamento em cabines individuais com varanda e serviço de quarto.

Costa Fascinosa

Segundo a Costa informou ao G1, a última viagem da temporada do Costa Fascinosa foi um mini cruzeiro de três noites, que partiu dia 14 de março de Santos, com passagem por Ilhabela e Balneário Camboriú, até o desembarque que também ocorreria na cidade de Santos, no dia 17.

Desde então, o navio permaneceu fundeado na barra do Porto de Santos, sem operar, devido ao encerramento antecipado da temporada de cruzeiros no país por conta da pandemia.

No sábado (28), o navio Costa Fascinosa saiu da área de fundeio da Barra para o Píer 25, no Porto de Santos. Há um médico da Costa Cruzeiros a bordo que é responsável por avaliar as condições de saúde dos tripulantes. Além disso, a Costa afirma manter os mais altos padrões de higienização e limpeza a bordo.

A determinação da Anvisa é que os casos com sintomas sejam colocados em quartos com varanda e que não sejam autorizados a sair das cabines.

Qualquer sintoma relacionado ao sistema respiratório deve ser colocado em isolamento na embarcação.

 

Determinações da Anvisa

 

A Agência também reiterou a exigência para que a empresa apresente uma planta do navio com informações precisas sobre a distribuição dos tripulantes, com destaque na identificação das cabines utilizadas pelos tripulantes sintomáticos e pelos assintomáticos. O objetivo é fazer a identificação de possíveis falhas na distribuição dos tripulantes pelo navio e que possam estar contribuindo para a transmissão do COVID-19.

Outra exigência feita pela Anvisa na inspeção de quinta-feira (2/4) é que qualquer tripulante, com ou sem sintomas, que tenha necessidade de sair de suas cabines, devem, obrigatoriamente, utilizar máscara cirúrgica descartável. A medida vale para os tripulantes que estão trabalhando no navio e aos que não estão trabalhando, mas que necessitam pegar suprimentos de limpeza e desinfecção de suas próprias cabines.

Os técnicos da Anvisa também verificaram que alguns tripulantes não estavam respeitando o distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas que foi determinado. A situação foi verificada, por exemplo, na proximidade de tripulantes conversando entre uma varanda e outra.

A empresa responsável pelo Costa Fascinosa está obrigada ainda a apresentar todos os dias, até às 21h, os dados de saúde a bordo (Medical Log Book), as atualizações do estado de saúde dos tripulantes internados e o registro de medição de temperatura de todos no navio. Esta medição de temperatura deve ser feita duas vezes por dia dentro da embarcação.

A embarcação também precisa indicar o nome, a localização e o departamento de todos tripulantes que estão realizando atividades a bordo como medição de temperatura, preparação e distribuição de alimentos e o trabalho de limpeza e lavanderia.

 

Fonte: Com Agências