Jornal Tijucas - Governo de SP suspende entrega de itens a presos e eleva tensão em presídios

Governo de SP suspende entrega de itens a presos e eleva tensão em presídios

Últimas notícias -

Famílias só poderão enviar itens pelos Correios ou fazer depósito para detento

Em nova medida de restrição de acesso a presídios no estado por conta do novo coronavírus, o governo de São Paulo decidiu suspender por tempo indeterminado a entrega de produtos por parte dos familiares de presos, os chamados “jumbos”, o que deve elevar a tensão do sistema prisional paulista.

É por meio de “jumbos” que os cerca de 230 mil presos espalhados pelo estado recebem das famílias produtos de higiene, alimentação e outros itens necessitários para a subsistência. Geralmente a entrega ocorre nos dias de visitas, mas o acesso das famílias ao interior dos presídios foi suspenso por determinação da Justiça.

foto mostra grupo de familiares em presídio
Grupo de pessoas diante de unidade prisional de São Paulo para entrega de itens a detentos - Divulgação

Mesmo com as visitas suspensas, as famílias continuaram indo aos presídios para levar os “jumbos” para serem entregues aos presos pelos funcionários. Essa demanda desagradou os agentes penitenciários, porque continuaram expostos à aglomeração de pessoas e, também, a itens que, segundo eles, poderiam estar contaminados —como vasilhames de plástico.

De acordo com norma publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (25), as entregas de produtos só poderão ser feitas por meio de pacotes postados nos Correios ou com depósito de dinheiro na conta-pecúlio do preso (pela qual recebe remuneração por trabalhos na prisão), para que os funcionários façam a aquisição dos itens.

“Por meio do pecúlio, a unidade pode adquirir itens extras que serão entregues diretamente ao custodiado. Ainda esclarecemos que todos os reeducandos recebem material de higiene e limpeza, adquirido pelo Estado. Como medida de combate ao coronavírus, a entrega desse material vem sendo reforçada, com limpeza mais frequente dos espaços nas unidades prisionais."

Para o presidente do Sifuspesp (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo), Fábio Cesar Ferreira, o Jabá, a entrega pelos Correios também não acabará com o problema.

“O jumbo é para suprir a falta do Estado, mas é o Estado que precisa ser responsável. Nós somos contra também a entrega por Sedex. Se o estado entrega tudo, acabou o problema. Reforçaríamos muito mais a segurança ao deixar de fazer esses serviços”, disse.

Também no Diário Oficial desta quarta, o governo também decidiu afastar do trabalho todos os servidores com mais de 60 anos de idade, além daqueles como doenças respiratórias crônicas, cardiopatas, diabéticos, hipertensos ou que com problemas no sistema sistema imunológico.


Fonte: Com Agências