Jornal Tijucas - Bebê de sete meses é trocada em creche em São Miguel do Oeste

Bebê de sete meses é trocada em creche em São Miguel do Oeste

Últimas notícias -

A mãe de uma bebê de sete meses registrou um boletim de ocorrência depois que a filha foi trocada em um CEI (Centros de Educação Infantil) no município de São Miguel do Oeste, no Oeste de Santa Catarina.

 

Caso ocorreu no Oeste de Santa Catarina – Foto: Arquivo/Agência Brasil/Divulgação/ND

De acordo com o Secretário Municipal de Educação, Paulo Ricardo Drumm, a troca ocorreu na manhã de segunda-feira (10), justamente no primeiro dia de aula.

A babá da menina foi até o CEI Mundo Mágico, no bairro São Gotardo, para buscar a bebê, por volta das 10 horas. A cuidadora, segundo o secretário, indicou qual era a criança que buscaria.

“Na hora de retirar a criança, como a professora estava cuidando dos demais, a auxiliar da creche foi atendê-la. Ela disse: ‘olha, vim buscar essa criança aqui’. Como a babá estava cadastrada, a auxiliar entregou a menina”, contou Drumm.

Mais tarde, os responsáveis perceberam a troca e retornaram à creche. O secretário admite a falha por parte da equipe do CEI e argumenta que as bebês tinham nomes parecidos.

“O erro foi na dinâmica de entrega da criança, uma vez que a auxiliar é nova e também não reconheceu”, destacou Drumm. Segundo ele, a auxiliar está contratada em Caráter Temporário (ACT).

 

Caso ocorreu em São Miguel do Oeste – Foto: Cristian Lösch/Portal Peperi/ND

Drumm comenta que diante do episódio, a Secretaria Municipal de Educação estuda mudar o procedimento de entrega das crianças.

“Estamos avaliando se vamos mudar essa dinâmica de entrega, uma vez que sempre foi assim e os pais também preferiam desta forma, pois, é mais rápida. Agora vamos burocratizar essa entrega para não ocorrer mais esse fato, que é isolado”, salientou o secretário.

O órgão diz que já fez contato com a família da menina e entende que não há mais clima para a permanência da bebê na instituição, por conta da falha. Por isso, segundo Drumm, foi ofertada vaga em outra instituição de ensino. Contudo, a família ainda não respondeu.

A mãe da menina fez um boletim de ocorrência logo após o ocorrido. A bebê frequentava o espaço infantil bebê.


Fonte: Com Agências